Category: chuvas de meteoros


geminideos

Um bólido geminídeo iluminando o céu no deserto do Mojave, 2009. Crédito: Wally Pacholka / AstroPics.com / TWAN.

Quando vale a pena passar toda a noite em claro para observar uma chuva de meteoros e não ir dormir decepcionado? Resposta: Quando temos uma chuva com alta taxa horária, quando o pico dessa chuva ocorre em plena Lua Nova, quando você pode ir a um local escuro e aberto, e claro, com noite sem chuva ou nebulosidade. Melhor ainda se o pico ocorre num final de semana, e você está de férias! Ok, nem tudo está perfeito. O pico ocorre de quinta para sexta (dia 13 para o dia 14), eu ainda não estarei de férias, e a chuva… bom é melhor nem falar muito, pois as nuvens “têm ouvido”.

Essa chuva costuma não decepcionar, com Taxa Horária Zenital em local ideal de 120 meteoros, segundo o IMO – International Meteor Organization, ela é provavelmente a mais confiável chuva do ano. O radiante nasce no horizonte próximo das 23h, e estará alto às 3h30 da manhã. Geminídeos são meteoros brilhantes de velocidade média (35 Km/s).

A maioria das chuvas de meteoros são originárias dos restos de cometas, os geminídeos são diferentes. Eles são fragmentos de um asteróide, o 3200 Phaethon que foi descoberto pela NASA em 1983, e segundo estudos, pode ser um pedaço (5 Km) do grande asteróide Pallas (544 Km).

A última chuva dos geminídeos com condições favoráveis foi em 2007, quando vi minha melhor chuva de meteoros. Cinco anos depois, melhor preparado para fotografar, vamos aguardar e torcer por uma noite sem nuvens.

Como observar

Para observar a chuva de meteoros você não vai precisar de telescópio. Procure por um local escuro, longe da cidade (mesmo dentro da poluição luminosa de uma cidade é possível ver alguns meteoros, mas apenas os mais luminosos), leve uma cadeira de praia reclinável, ou um colchonete para estender no chão. O radiante, que é o ponto de onde parecem partir os meteoros, fica na constelação de gêmeos, mas se você não conhece a localização das constelações, não se preocupe, depois das 23h sente-se ou deite-se com os pés virados para o Norte e simplesmente fique atento. Observe desde as ”Três Marias” até a região do Cruzeiro do Sul. Os meteoros devem surgir por todo o céu.

Fique no escuro, não ofusque sua visão olhando para o celular, notebook, lanterna ou qualquer fonte de luz. Nossos olhos precisam de pelo menos vinte minutos para que as pupilas se adaptem à escuridão. Ao observar essa chuva de meteoros, leve amigos junto, é muito divertido ver alguém gritar: – Alí!! – Outro!!! – Mais um!!! Não esqueça de uma bebida quente e principalmente vá bem agasalhado (inclusive com chápeu ou boné).

Se voce é de Londrina ou região

O Grupo GEDAL estará fazendo observação da chuva no BREU, tradicional local de observação do céu, que fica na estrada do limoeiro 15 km depois do Tiro de Guerra. Para mais informações mande uma mensagem nos comentários.

Boa sorte pra nós!

Anúncios

Draconídeos tem THZ de 1 ou 2 meteoros por hora, porém os chamados outbursts registrados no século passado chegaram a centenas e até milhares por hora. Draconídeos são restos do cometa 21P/Giacobini-Zinner.
Apesar de alguns picos ocorrerem na noite de hoje e amanhã, os Draconídeos são melhor visíveis pelos observadores do hemisfério norte. Além disso a Lua Crescente vai atrapalhar muito a visão. A não ser que ocorram espetáculos históricos como o de 1933, quando foram registrados 450 meteoros por minuto!

Mesmo com a chance pífia de ver algo, hoje a noite vou arriscar ficar um pouquinho lá fora.

Se alguém quiser arriscar: assim que anoitecer (19h), fique de olho
na região entre as estrelas Vega e Antares (Noroeste). Creio que até
umas 23h30 ou 00h00 vale arriscar.

Meteoro conhecico popularmente como "estrela cadente".

A IMO (International Meteor Organization), nem mesmo colocou a chuva em discussão este ano em seu site, devido à Lua em Quarto minguante que no período do máximo estará atrapalhando as observações, quando Órion estiver bem alto no céu lá pelas 4h  da manhã.
Porém ela, a Lua,  só nascerá próximo às 2h e até esse horário (quando Órion estará alcançando entre 30 e 40 graus de altitude do horizonte leste), será possível a observação.

Assim como os eta-aquarídeos, a chuva dos orionídeos são resultado da esteira de fragmentos deixados pelo cometa Halley. Segundo a IMO, não se espera para esse ano as taxas mais elevadas que ocorreram no período de 2006-2009, mas isso não é uma garantia.

Dia do máximo: 21 de outubro

Taxa horária zenital: 25

Faixa de horário sem Lua: da 23h30 às 2h30

Para onde olhar

Para observar essa  chuva de meteoros, na noite de 20 para 21 de outbro (no noite seguinte também dá pra ver), procure um local bem aberto onde você possa ver uma grande parte do céu, em um cadeira de praia (ou deitado confortavelmente no chão) e fique de olho no alto do céu, mas com a cadeira virada para o Leste (lado que o Sol nasce),  procure por Órion, a constelação onde ficam as famosas “três marias”, depois das 23h30, é de lá que os meteoros parecerão estar saindo, porém não é necessário ficar olhando sempre para ele, olhe de preferência para o alto do céu.  Até a Lua nascer, você terá 3 horas para tentar a sorte e ver quem saber algum Fireboll como esse:

Não deixe de ver também esse vídeo com várias fotos de orionídeos enquanto a constelação avança no céu: