Category: Lua


Lua registrada em 30/08/2017 com ajuda do amigo Saulo de Aquino.

Panorama_Sem Título1 FINAL4

 

Telescópio Celestron Maksutov-Cassegrain 127 mm, montagem Skywatcher AZ-eq5 e câmera ZWO ASI120MC. 15 imagens para o mosaico.

Anúncios

Panorama_Sem Título1 cópia7b

Mosaico com nove tomadas de 1000 frames cada e empilhados 30% dos melhores frames. Telescópio Celestron Maksutov-Cassegrain 127mm; Montagem Skywatcher AZ-eq5; Câmera ZWO ASI120MC; Captura com ShapCap 3, processamento Registax 6 e pós-processamento Photoshop CS6. Registro feito do Observatório Draco Australis – Londrina – Paraná.

Fotografando pela primeira vez com a montagem AZ-Eq5 e Maksutov 127 com a câmera ASI120MC.

Panorama_Sem Título1_2

IMG_5153_2_final

O fenômeno da luz cinérea é a possibilidade de se observar a parte escura da Lua iluminada de modo tênue. Este é um fenômeno observável nos dias que precedem e sucedem imediatamente a fase de Lua Nova, após o quarto minguante e antes do quarto crescente.
Este fenômeno se deve ao fato de a Terra refletir uma porcentagem da luz recebida do Sol de volta ao espaço. Esta luz refletida pela Terra acaba por iluminar a parte escura da Lua que está voltada para a Terra.
montagem2_PS4
A imagem é uma montagem de duas fotos. Uma com exposição de 1/1000 de segundo e outra de 1/3 de segundo. Assim é possível observar a superfície da Lua iluminada pela luz refletida pela Terra (luz cinérea) e ao mesmo tempo a superfície da Lua iluminada diretamente pelo Sol (à direita).
Telescópio Celestron C11 + Câmera Canon 600D + redutor Celestron f/6.3.
canon_c11gps

Durante a transmissão do programa Astronomia ao Vivo #129 fiz alguns registros do eclipse lunar penumbral. Esse tipo de eclipse não chama tanto a atenção quanto os parciais ou totais porque não é possível, para o leigo, notar diferenças na luminosidade da superfície da Lua, já que ela passa apenas pela penumbra da sombra da Terra. Um observador mais frequente de nosso satélite natural pode notar uma leve diferença de brilho quando a ela esteve em sua máxima aproximação da umbra da Terra que ocorreu às 22h43 (horário de Brasília).

2-eclipse-lunar-penumbral-2017_02_10-asi120mc_nikkor-180mm_star-adventurer_sem-filtros_registx

A câmera deixa a diferença de contraste e brilho na Lua bem mais evidente. A montagem mostra cinco registros com diferenças de aproximadamente 20 minutos cada. A intenção seria registrar bem mais imagens para uma sequência em vídeo ou gif mas não foi possível devido às nuvens que atrapalharam bastante.

Local: Londrina/PR – Observatório Draco Australis; Montagem: Sky-Watcher Star Adventurer; Lente: Nikkor 180mm ED Ai-S; Câmera: ASI120MC. Captura: SharpCap; Empilhamento: Registax; Mosaico: PS.

staradv_asi120mc_180mm

 

Lua Crescente capturada durante o programa Astronomia ao Vivo #102. Câmera ASI 120MC, Telescópio Apo 100mm e redutor 0.75x. Duas tomadas sendo 100 melhores frames de 500 em cada tomada. Imagens capturadas com SharpCap, processadas com Registax e somadas no Photomerge.

Lua Capturada na virada de 23/09 para 24/09 durante o programa Astronomia ao Vivo #102

Lua Capturada na virada de 23/09 para 24/09 durante o programa Astronomia ao Vivo #102

Lua a poucas horas do Quarto Crescente às 21h40 de 20/09/2015. Telescópio Apocromático SW Esprit 100mm com redutor William Optics 0,75x e Câmera ZWO ASI120MC. 100 melhores frames de 500. Captura SharpCap, processamento Registax.

Lua a poucas horas do Quarto Crescente às 21h40 de 20/09/2015. Telescópio Apocromático SW Esprit 100mm com redutor William Optics 0,75x e Câmera ZWO ASI120MC. 100 melhores frames de 500. Captura SharpCap, processamento Registax.

Imagem da Lua Cheia de 29 de agosto de 2015. Imagem feita com telescópio apocromático 100mm e câmera ASI120MC. Duas tomadas, 50 melhores frames de 500 cada. Empilhado no Registax 6, mosaico montado no Photomerge.

Untitled_Panorama1_PS_small

A segunda imagem foi feita com lente Nikon Nikkor 180mm ED e a câmera ASI120MC. Registax e PS.

Capture 29_08_2015T21_38_06_PS

Lua cerca de 1 dia após o quarto crescente.  Tomada única, sem mosaico usando um telescópio apocromático com redutor (412 mm de distância focal) e câmera ASI120MC. O vídeo dessa imagem foi feito durante o programa Astronomia ao Vivo #96 de 23/08/15. Processado com o programa Registax, 50 melhores frames de 500. Esse foi um teste para o registro do Eclipse Lunar Total que ocorre daqui um mês (em 27/09/15). O grupo GEDAL estará observando em Londrina e o grupo Astronomia ao Vivo transmitirá o evento ao vivo.

http://www.astrobin.com/205909/

Capture 23_08_2015T21_33_262_PS