Tag Archive: qhy9s-m


Região de Prawn Nebula, IC 4628, a 6000 anos-luz de distância na direção da constelação do Escorpião. Finalmente com cor. OIII a desejar deu uma atrapalhada na qualidade mas pra quem estava a três meses sem fazer praticamente nada em processamento, foi bom pra desenferrujar um pouco. H-alpha capturado em Londrina e OIII em Padre Bernardo durante o 8ºEncontro Brasileiro de Astrofotografia em Julho desse ano.

prawn nebula Ha_Ha+OIII+OIII_crop_final_small

 

Anúncios

Mosaico de duas imagens da região da constelação do Cisne (Região de Gamma Cygni e Sadr). Capturada com filtro h-alpha, lente 180mm e câmera QHY9S-M. Tempo total 5h. Capturas feitas em Padre Bernardo – GO durante o 8º EBA – Encontro Brasileiro de Astrofotografia.
http://www.astrobin.com/222151/

209bb05e88ffb737f3914742b96ed5d7.1824x0_q100_watermark

Região pouco fotografada, a nebulosidade no centro da imagem é Sh2-54 e a nebulosa brilhante dentro dela é Gum-85, e o seu anel mais escuro é Gum-84, justos formam a nebulosa “nested egg”. O aglomerado aberto contido nessa região é NGC6604. A distância é de cerca de 5000 anos-luz. Na esquerda pode-se ver a famosa nebulosa da águia M16 (superexposta). Essa imagem foi feita durante o 8ºEBA – Encontro Brasileiro de Astrofotografia em Padre Bernardo-GO, no dia 15/07/15. Equipamento: NEQ6; Lente 180mm ED; câmera QHY9S-M; filtro H-alpha 7nm; Captura: 10 frames de 20min cada. Processamento: DSS, PS. http://www.astrobin.com/206938/

DSS_PS2_registax2_canvas

Trio de Sagitário. M8 – Nebulosa da Lagoa (à esquerda) e M20 (Nebulosa Trífida (à direita) e NGC 6559 (acima de M8).

Ha+(Ha)(SinteticGreen)(OIII)_PS_canvas_small_P

 

Imagem da bela e rica região da estrela Sadr na constelação de Cisne, IC1318. A imagem mostra à direita no alto a nebulosa Crescente (NGC 6888) e muitas nebulosas de reflexão e nebulosas escuras. Imagem em h-alpha, lente 180mm, câmera QHY9S-M. 7 frames de 1200 segundos cada. Imagem captada durante o 8º EBA- Encontro Brasileiro de Astrofotografia em Padre Bernardo-GO na madrugada do dia 17 de julho de 2015.

DSS_PS_noise_starssmallers_registax_canvasandsignature_small_final

Estou aproveitando bem as noites de céu limpo do mês de junho e refazendo imagens de objetos que capturei em abril e maio. Todas agora com muito mais tempo de exposição pois definitivamente me entendi com meu setup e tudo está correndo bem sem surpresas há várias sessões. Estou conseguindo frames bem longos agora, de 20 min em h-alpha, e o grande tempo total de exposição revela muitos detalhes das nebulosas de emissão.

Abaixo está o par de nebulosas M16 (à direita) e M17 (à esquerda). M16, ou Nebulosa da Águia é uma nebulosa conhecida pela presença dos chamados “Pilares da Criação“, colunas gigantescas de gás com alguns anos-luz de comprimento onde estão se formando novas estrelas e que foi fotografada pelo Telescópio Espacial Hubble e cuja imagem se tornou muito conhecida. Se você olhar atentamente na imagem, dá pra ver claramente a região dos pilares e a região que dá nome à nebulosa. M16 se encontra a uma distância de aproximadamente 7 mil anos-luz de nós. M17 ou Nebulosa do Cisne, ou ainda Nebulosa Omega, está a uma distância entre 5 mil e 6 mil anos-luz e possui cerca de 15 anos-luz de diâmetro. A massa de gases dessa nebulosa é 800 vezes maior que a massa do Sol.

for mask_PS_registax_mask_canvas_signature

Para fazer essa imagem foram 12 frames de 1200 segundos cada e mais 20 frames de 60 segundos. Equipamento é o mesmo de ultimamente: Filtro Baader H-alpha, Lente Nikkor 180 e câmera QHY9S-M, a montagem é uma SW NEQ6.

Nova imagem de M8 (Nebulosa da Lagoa) e M20 (Nebulosa Trífida). M20 fica a cerca de 5000 anos-luz de distância e M8 a cerca de 4000 anos-luz, ambas situadas na constelação do Sagitário. Sobre M8 está a bela nebulosa NGC 6559, no centro-esquerdo da imagem está o aglomerado globular NGC 6544, a nebulosa escura acima de M8 é B 91, à direita e acima de M20 encontra-se o aglomerado aberto M21 e entre M8 e M20 está o aglomerado aberto Bochum 14. A minha intenção era capturar um total de 4 horas mas as nuvens atrapalharam, mesmo assim consegui 2h40min. Equipamentos: Nikkor 180mm ED f2.8 @f/4, QHY9S-M, NEQ6, filtro h-alpha Baader 7nm 1.25″. Local: Londrina-PR.

DSS_PS_mask_signature

Atualização (23/06/2015). Nova versão de processamento:

DSS_PS_mask_signature_filtered_mask+registax+registax3

Noite mais fria do ano até agora com céu limpo e transparente me permitiu refazer uma imagem da Nebulosa IC 4628, conhecida como Prawn Nebula ou Nebulosa do Camarão (é a nebulosa mais brilhante à esquerda na imagem). Ela está situada a cerca de 6000 anos-luz de distância (aproximadamente 60 quatrilhões de quilômetros!). Isso significa que a luz dessa nebulosa, que viajou pelo espaço e chega aqui agora, saiu de lá quando a humanidade descobria a escrita e terminava a chamada Idade dos Metais. O aglomerado aberto no centro da imagem é NGC 6231 conhecido como Caixa de Joias do Norte ou Aglomerado Falso Cometa, talvez por possivelmente confundir astrônomos quando observado com pequenos telescópios. Essa captura foi feita com filtro h-alpha, uma lente Nikon Nikkor 180mm ED Ai-S (aberto a f/4) e câmera QHY9S-M. Equipamento sobre uma montagem SW NEQ6 guiada com um miniguide 50/162mm e câmera ASI120MC. Softwares para captura e guiagem: CdC, AZCAP, PHD2. Processamento e pós-processamento: Deep Sky Stacker, Photoshop CS5 e Registax (wavelets).
DSS_d_f_b_frames_PS_mask_smollerstars_registax_canvas_signature_mask_final

Essa captura foi feita com filtro Baader h-alpha, lente Nikon Nikkor 180mm ED Ai-S f/2.8 (aberto a f/4) e câmera QHY9S-M com sensor resfriado a -20°C. Equipamento sobre uma montagem SW NEQ6 guiada com um miniguide 50 mm e câmera ASI120MC. Softwares para captura e guiagem: CdC, AZCAP, PHD2. Processamento e pós-processamento: Deep Sky Stacker, Photoshop CS5 e Registax (wavelets). Foram necessários 20 frames de 300 segundos cada em um tempo total de exposição de 4 horas. Aplicados Darks, Flats e Bias frames.

Nova captura de IC2944. Uma imagem realmente de longa exposição. Pela primeira vez fiz frames de 1200 segundos (20 minutos!) num total de quase 5 horas de exposição total. Foram 14x1200seg com lente Nikon Nikkor 180mm ED 2.8 @f/4, câmera QHY9S-M e montagem NEQ6.

DSS_PS_Registax_smollerstars2x_mask

http://www.astrobin.com/184724/

Fim da madrugada, falta uma hora e meia para amanhecer o dia, o que fazer? O mais óbvio é partir pra uma nebulosa brilhante e que possibilite uma captura com pouco tempo de exposição. Mas o que fiz foi o contrário, escolhi uma nebulosa tênue e de difícil captura. Fiz mais para explorar o campo do conjunto do que pela imagem, portanto, esta imagem eu considero como inacabada e farei mais capturas para compor a imagem com mais tempo de exposição. A Nebulosa do Véu (Veil Nebula) fica  na constelação do Cisne e é um conjunto de pelo menos 5 ou 6 NGC’s mas que são produtos de um único evento, uma explosão de supernova, que ocorreu a mais de 5 mil anos atrás. Essa nebulosa está a cerca de 1500 anos-luz de distância, possui cerca de 90 anos-luz de largura e no céu ela ocupa uma área de cerca de 36 Luas Cheias.

Autosave_PS