Archive for fevereiro, 2017


Registros entre nuvens do Eclipse Solar que para o Brasil foi parcial. Em Londrina tivemos o início às 9h55; máximo 11h17; fim às 12h44. Observado daqui, o Sol teve seu disco encoberto em cerca de 30%.

Câmera: Canon T3i; Lente: Nikon Nikkor ED 180mm Ai-S; Captura EOS Utility; Montagem: SkyWatcher Star Adventurer; Filtro: Seymour Solar Filter (emprestado pelo amigo Saulo de Aquino). Local: Observatório Draco Australis Londrina/PR. Em 26/02/2017.

canon_180mm_staradventurer

Acima, detalhe da montagem do filtro para registrar o eclipse. EVA + Clipes metálicos. Os registros foram feitos durante o programa Astronomia ao Vivo #131.

Aqui em casa a família tentou observar, mas só conseguimos por alguns momentos. Abaixo, a garotada fazendo pose pra foto:

82e850ee-3920-432b-bb51-b655fa1b57ab

 

Anúncios

Durante a transmissão do programa Astronomia ao Vivo #129 fiz alguns registros do eclipse lunar penumbral. Esse tipo de eclipse não chama tanto a atenção quanto os parciais ou totais porque não é possível, para o leigo, notar diferenças na luminosidade da superfície da Lua, já que ela passa apenas pela penumbra da sombra da Terra. Um observador mais frequente de nosso satélite natural pode notar uma leve diferença de brilho quando a ela esteve em sua máxima aproximação da umbra da Terra que ocorreu às 22h43 (horário de Brasília).

2-eclipse-lunar-penumbral-2017_02_10-asi120mc_nikkor-180mm_star-adventurer_sem-filtros_registx

A câmera deixa a diferença de contraste e brilho na Lua bem mais evidente. A montagem mostra cinco registros com diferenças de aproximadamente 20 minutos cada. A intenção seria registrar bem mais imagens para uma sequência em vídeo ou gif mas não foi possível devido às nuvens que atrapalharam bastante.

Local: Londrina/PR – Observatório Draco Australis; Montagem: Sky-Watcher Star Adventurer; Lente: Nikkor 180mm ED Ai-S; Câmera: ASI120MC. Captura: SharpCap; Empilhamento: Registax; Mosaico: PS.

staradv_asi120mc_180mm