Finalmente sem contratempos, consegui participar de uma edição da Mostra Cosmos 2011, realizada pelo Gedal e MCTL, no auditório do Observatório Astronômico da UEL. Fui convidado pelo Miguel (presidente do GEDAL) para apresentar o episódio 7 da série: A Espinha Dorsal da Noite (traduzida erradamente no DVD como Esqueleto da Noite). Trata-se do episódio mais histórico e menos astronômico da série, mas o que não o torna o menos importante. Aborda o desenvolvimento do conhecimento humano a respeito da astronomia, falando dos jônios e  os socráticos.

No fim do documentário Sagan, ao falar às crianças em uma sala de aula que ele também estudou quando criança, diz uma “profecia” científica a respeito da existência ou não de exoplanetas, que sempre que assisto o episódi, esse trecho me emociona. Abaixo, transcrevo as palavras dele:

“- …bem, os dois métodos podem ser usados (observação direta e velocidade radial da estrela), e quando vocês estiverem com a minha idade (ele está falando com crianças em uma sala de aula), já saberemos se as estrelas mais próximas têm planetas ou não. Poderemos conhecer dúzias ou centenas de outros sistemas planetários, e ver se são parecidos com o nosso, ou muito diferentes, ou se não há planetas em estrela nenhuma. Isso acontecerá durante suas vidas. E será a primeira vez na história do mundo que se saberá se há mesmo outros sistemas planetários…”

Notem que o vídeo é de 1980 e o primeiro exoplaneta foi descoberto em 1989 (salvo erro). Hoje temos quase 600 exoplanetas descobertos. Aquelas crianças devem estar com a idade de Sagan na época do vídeo. Legal né?!?!?

Abaixo duas fotos que tirei durante a exibição do vídeo.

Auditório do Observatório lotado.

Mostra Cosmos. Umas trinta pessoas participaram nesse dia.

Anúncios